Cinco Pensamentos Inspiradores de Carl Jung para o Autoconhecimento


Postado em 11/01/2018   -   Categoria: PSICOTANDO

Para começar o ano com boas reflexões, trago algumas de um grande sábio, que servem para a vida de qualquer um de nós.

Carl Gustav Jung, precursor da Psicologia Analítica/Junguiana, é hoje um dos grandes nomes da Psicologia. Abaixo são apresentados 5 pensamentos deste célebre autor para a busca de seu autoconhecimento (Blog Mundo da Psicologia, 2017):

“1) “Uns sapatos que ficam bem numa pessoa são pequenos para outra; não existe uma receita para a vida que sirva para todos.”

Eis o grande segredo do existir: Ser você mesmo!

Passamos diversas situações ou momentos buscando conselhos e saídas nos outros, e nas formas como eles viveram que nos esquecemos muitas vezes que o caminho do nosso destino se encontra em nós mesmos. Parece uma utopia? Uma mera ladainha? Pergunte a si mesmo quando de fato, seguir aquilo que os outros te disseram como certo te trouxe a plena satisfação do existir. Sim, não duvido de conselhos e orientações, mas sei que nos momentos mais decisivos de nossa vida o nosso destino nos chama para o nosso “sapato ideal”, para as escolhas que adiamos e evitamos, por medo de errar, apenas para nos dizer: é chegada a transformação, pois: não existe uma receita para a vida que sirva para todos.

2) “Tudo aquilo que não enfrentamos em vida acaba se tornando o nosso destino.”

Existem aqueles que por medo da morte física, tem seus sonhos sepultados a partir de um não.

Existem aqueles que por não quererem se machucar em um relacionamento, acabam por conduzir outros no fracasso das relações.

Existem aqueles que por negar sua dor e abandono, acabam sendo os maiores carrascos do próximo e os maiores frustrados na vida.

Percebe? Embora façamos empenho em não encararmos aquilo que nos fragiliza, provoca dor e cause crise, é isso que nos moverá continuamente, mesmo que de forma inconsciente, para o nosso destino, pois a vida não é um caminho desconhecido, ele é um caminho a se descobrir, mas que nem por isso permanece oculto…

 

3) “A vida acontece no equilíbrio entre a alegria e a dor. Quem não se arrisca para além da realidade jamais encontrará a verdade.”

O ideal da felicidade plena, do não viver sem dor. Quantas e quantas pessoas se encontram aí, perdidas no mundo buscando com todas as suas forças um ideal pleno, o caminhar colorido que acontecia nos finais dos contos de fadas e esquecem de que a vida é muito mais?

Nunca existirá uma vivência sem os terríveis invernos, assim como não existirá um desabrochar sem a tão esperada primavera. Viver envolve riscos. Conhecer o seu propósito ainda mais…

 

4) “Não se apegue a quem estiver partindo porque assim você não irá conhecer quem estiver chegando.”

– Fica!

– Não fico. Na verdade, não posso ficar …

E assim terminam os romances da atualidade, deixando a outra parte apegada e sucumbida em lágrimas.

Uma parte que recorre as lembranças e as constantes memórias, mas que se esquece sempre de que quando algo se vai, outro melhor está por vir … Sejam: pessoas, sentimentos, conquistas ou a própria renovação.

5) “A vida é como o oceano, é preciso mergulhar de cabeça para sentir a sua profundidade.”

E por medo de não conseguir paramos e criamos outras rotas, esquecendo de que a primeira era a principal para nossa jornada.

Atravessamos inúmeros vales evitando o abismo que traria o aprendizado, e perdemos assim de construir uma vida com todo o significado, por ficar apenas com os pés na água, quando na verdade era preciso se jogar…”

 

Fonte: Polyana Ferreira. Blog Mundo da Psicologia, 16 nov, 2017.