A importância da alimentação no tratamento oncológico


Postado em 05/09/2017   -   Categoria: Dica da Nutricionista

            O tratamentos para o câncer, tanto quimioterapia quanto radioterapia ou cirurgias, têm o objetivo de erradicar a doença, porém, acaba afetando também as células saudáveis do organismo. Uma boa alimentação pode ajudar o corpo a ter a força que necessita para reconstrução das células.

            A ingestão adequadas de calorias e proteínas são essenciais para o corpo se recuperar, sendo necessário antes, durante e após o tratamento.

            Durante o tratamento é muito comum o paciente apresentar alguns efeitos colaterais, como: feridas na boca, alteração do paladar, falta de apetite, náuseas, vômitos, sentir-se satisfeito antes que você tenha comido o suficiente, dificuldade em engolir, constipação, diarreia e outros.

            Em alguns casos a ingestão inadequada de alimentos pode resultar em desnutrição e aumento da toxicidade do tratamento. Estes efeitos colaterais podem impedir de concluir o plano de tratamento prescrito conforme o programado e afetar o resultado do tratamento.

            As necessidades nutricionais variam conforme local de tratamento, tipo de protocolo, efeitos colaterais individuais, exames e outros.

            Para auxiliar em uma melhor alimentação, são importantes algumas recomendações, como:

  • Faça pequenas refeições ou lanches a cada duas ou três horas.
  • Beba muito líquido para ficar hidratado e reduzir o tempo de efeitos colaterais.
  • O uso de suplementação deve ser apenas com prescrição do seu médico ou nutricionista.
  • Consuma frutas e verduras diariamente, sendo importante fazer as restrições conforme os efeitos colaterais e o tipo de medicação.
  • Evite o consumo de frituras e alimentos ricos em gorduras.
  • Retire da alimentação embutidos, enlatados e alimentos processados e ultra processados (alimentos pronto para consumo ou pronto para ser aquecido).
  • Reduza o consumo excessivo de sal.
  • Evitar o consumo de alimentos ricos em açúcar.
  • Dar preferência para os alimentos ricos em fibras (grãos integrais, legumes, frutas e verduras).
  • Faça atividade física regularmente conforme orientação médica.
  • Consultar uma nutricionista para desenvolver um plano personalizado pode ajudar você a gerenciar ou, pelo menos, compensar os sintomas que poderiam impedi-lo de comer.

 

            Uma boa alimentação durante o tratamento pode ajudar a manter ou recuperar o peso, a diminuir a toxicidade ao tratamento e, com isso, pode ajudar a controlar alguns efeitos colaterais do tratamento.
            Lembre-se em que a nutrição também faz parte do seu tratamento. Ela pode fazer uma enorme diferença na sua recuperação e na capacidade do seu organismo de passar pelo tratamento oncológico.
 

 

Juliana Aparecida Souza Borges

Nutricionista

COT- Centro Oncológico do Triângulo